terça-feira, 6 de maio de 2014

Sampaio Corrêa Campeão Maranhense 1984

Sampaio Corrêa Campeão Maranhense em 1984

Um dos mais alegres com a conquista do campeonato é o Presidente Pedro Vasconcelos, que, desde o ano passado, assumiu o comando do clube e fez uma promessa: “Só vou sossegar depois que for campeão maranhense”. Pedro Vasconcelos perdeu o campeonato de 83, embora tenha sido o maior investidor do futebol maranhense do ano passado, fazendo contratações de vulto, mas que não renderam os frutos esperados, dentro de campo.

Em 1984, o Presidente sampaíno tentou mudar a sua filosofia, investindo num time mais modesto, escolhendo ex-juvenis junto são futebol carioca. Teve que reformular os seus planos, pois os jogadores escolhidos pelo técnico José Storino, que também não deu certo, acabaram não correspondendo à expectativa. Quando notou que iria trabalhar em vão outra vez, Vasconcelos recrutou Humberto Trovão para Diretor de Futebol e Nivaldo da Graça Sampaio Correia para assessorá-lo. Ai os resultados passaram a aparecer, para a satisfação da galera, que sempre o apoiou, mesmo quando perdeu o título em 1983. Agora, como campeão em 84, Vasconcelos fez outra promessa aos bolivianos: “Vou fazer um grande time para honrar o futebol maranhense na Taça de Ouro”.


Júlio Arão é campeão invicto – O técnico Júlio Arão conquistou o título de campeão maranhense de forma invicta, pois desde a sua contratação não perdeu nenhum jogo. O Sampaio completou 24 jogos sem nenhuma derrota, entre os quais o preparador comandou  time em 23 partidas, sendo 15 pelo campeonato. O detalhe importante, que precisa ser frisado, é que o preparador não perdeu para os dois maiores adversários – Moto e Maranhão. Contra o Moto, fez cinco jogos, ganhou quatro e empatou um; Também fez cinco jogos diante do Maranhão, ganhou dois e foram registrados três empates.

Nasser deu gás ao time – Numa questão de justiça é preciso citar o excelente trabalho desenvolvido prelo fisicultor Nasser Jadão, que dotou o elenco de um preparo físico invejável. Nasser Jadão, cujo importante trabalho vem sendo pouco lembrado pelos próprios bolivianos, é um rapaz humilde que chegou ao Sampaio quando a equipe estava atravessando uma fase negativa, já que os resultados, inclusive físicos, não estavam convencendo. Nasser, que foi formado recentemente em Educação Física, antes do Sampaio trabalhou como fisicultor do Maranhão Atlético Clube.

Bimbinha, o herói do título

O herói Bimbinha é campeão pela segunda vez - o ponteiro-esquerdo Binbinha, herói da conquista de 84 como autor da vitória no jogo contra o Maranhão, aos 10 minutos do segundo tempo, foi campeão pelo Tricolor também em 1980. Bimbinha é um dos remanescentes (o outro é Rosclin) do time sampaíno que ganhou o certâmen em 80, numa decisão diante do moto Club, com o empate em 1 a 1. Ele foi o ponta-esquerda da equipe formado um dos mais famosos ataques que o Sampaio já teve – Bimbinha, Fernando e Cabecinha. Bimbinha começou a sua carreira nos juvenis do Sampaio, de onde foi promovido para o time principal em 80. Ao passado, Bimbinha foi afastado do elenco do “Mais Querido” por ter sido emprestado ao Izabelense, tendo disputado o campeonato paraense.

 
A decisão - Sampaio Corrêa e Maranhão decidiram o certame de 1984. Na grande final, brilhou a estrela do ponteiro Bimbinha, autor do gol que garantiu o título daquele ano ao Sampaio, em jogo disputado no Estádio do Castelão. Foi o jogo de número 466 na história do Clássico Samará. A seguir, a ficha da partida entre bolivianos e atleticanos:

Sampaio Corrêa 1x0 Maranhão
Data: 2 de Dezembro de 1984
Local: Estádio Castelão
Juiz: Sérgio Faray
Bandeirinhas: Josenil Sousa e Idelfonso Araújo.
Renda: Cr$ 35.404.000,00
Público: 15.299 pagantes
Gol: Bimbinha aos 10 minutos do segundo tempo
Cartão vermelho: Alcino e Gaúcho
Sampaio Corrêa: Geordano, Nestor, Rosclin, Santos e Gilban; Meinha, Mateus e Beato; Joãozinho Neri (Puma), Renato e Bimbinha. Técnico: Júlio Aarão
Maranhão: Juca Baleia, Uberaba, Tataco, Gaúcho e Neto; Russo, Tica (Alcino) e Vilmario; Valter, Riba e Jânio (Rodrigues). Técnico: Marçal Tolentino Serra

Sampaio fez 24 partidas - O Sampaio utilizou 29 jogadores ao longo do certame. O primeiro quadro foi o seguinte: Ricardo, Rui, Rosclin, Eduardo e Ivanildo; Meinha, Mateus e Lutércio (Beato); Joãozinho, Zé Amaro e Bimbinha. O seu último time foi Geordano, Nestor, Rosclin, Santos e Gilson; Meinha, Mateus e Beato; Joãozinho (Puma), Renato e Bimbinha (Cascavel). Além desses, foram ainda utilizados Carneiro, Rubinho, Vinicius, Riba, Jotabê, Jerônimo, Marco Lima, Toinho, Carioca e Jadir. Meinha e Joãozinho, com 23 jogos, foram os que mais atuaram, seguidos de Rosclin e Mateus, com 22 partidas. Para ser campeão maranhense, o Sampaio Corrêa realizou 24 jogos. Os resultados foram os seguintes:

PRIMEIRA FASE DO PRIMEIRO TURNO
Sampaio Corrêa 2x2 Tupan
Sampaio Corrêa 2x0 Tocantins
Sampaio Corrêa 0x0 Maranhão
Sampaio Corrêa 0x2 Moto Club
Sampaio Corrêa 2x0 São José

PRIMEIRA FASE DO SEGUNDO TURNO
Sampaio Corrêa 2x1 Expressinho
Sampaio Corrêa 0x0 Imperatriz
Sampaio Corrêa 6x0 Boa Vontade
Sampaio Corrêa 2x2 Moto Club

PENTAGONAL DO SEGUNDO TURNO
Sampaio Corrêa 0x0 Imperatriz
Sampaio Corrêa 1x0 Tupan
Sampaio Corrêa 3x2 Moto Club
Sampaio Corrêa 0x0 Maranhão
Sampaio Corrêa 4x1 Imperatriz
Sampaio Corrêa 1x1 Maranhão
Sampaio Corrêa 6x4 Tupan
Sampaio Corrêa 2x1 Moto Club

PRIMEIRA FASE DO TERCEIRO TURNO
Sampaio Corrêa 3x1 Tupan
Sampaio Corrêa 2x2 Maranhão
Sampaio Corrêa 2x1 Moto Club

SEGUNDA FASE DO TERCEIRO TURNO
Sampaio Corrêa 5x0 Tupan
Sampaio Corrêa 4x0 Maranhão
Sampaio Corrêa 2x0 Moto Club

JOGO EXTRA DO TERCEIRO TURNO
Sampaio Corrêa 1x0 Maranhão

Nenhum comentário:

Postar um comentário