segunda-feira, 26 de maio de 2014

Amistoso - Seleção Maranhense 0x2 Corinthians/SP - 14 de Janeiro de 1968


No dia 14 de Janeiro de 1968, o S. C. Corinthians Paulista realizou uma única apresentação em nossa capital, diante da Seleção Maranhense, no Estádio Municipal Nhozinho Santos, a primeira partida interestadual do ano de 1968. Sob o comando do treinador Eudes Calazans, o nosso selecionado esteve em treino coletivo na manhã do dia 12 de Janeiro, visando o encontro diante dos paulistas. Antes de ser iniciado o treinamento coletivo, Calazans conversou atentamente com os jogadores, dizendo sobre o que poderá acontecer durante a partida, pois o Corinthians era considerado pela crônica esportiva de São Paulo como a melhor equipe do Campeonato Bandeirante, embora tivesse perdido o título de 68 para o Santos.

Calazans observou bem o meio-campo formado por Barrão e Carlos Alberto e a dupla de zaga armada com Neguinho, Omena, Osvaldo e Carlindo, este último com a incumbência de marcar o ponteiro-direito Marcos. Além de Carlindo, o selecionado maranhense contou ainda com os jogadores Alencar, que pertencia ao MAC e havia dois anos defendia o Fortaleza, sagrando-se campeão cearenses; o ex-sampaíno Cadinho, defendendo as cores do Ceará. A dupla de área estava formada pelo jogadores Toca e Cadinho, com a ordem de dar trabalho aos zagueiros Ditão e Clóvis, respectivamente.

Após o treino, os jogadores da seleção receberam massagem especial aplicada pelo massagista Luiz Luz Júnior e em seguida houve a revisão médica aplicada pelo facultativo Carneiro Belfort. Logo após os jogadores seguiram para a concentração no Hotel Imperial, encontrando-se alojados.

Já o Corinthians encontrava-se em São Luís desde o dia 12 de Janeiro, sendo bem recepcionada no Aeroporto do Tirirical, contando com a presença de várias autoridades esportivas, do promotor da vinda do clube paulista ao Maranhão, o empresário Francisco Meireles, além de grande número de jornalistas e repórteres que se faziam presentes. Depois de várias entrevistas, os componentes da comitiva seguiram diretamente para o Hotel Central. A delegação do Corinthians ainda foi recepcionada com um coquetel oferecido pela FMD. No dia seguinte, 13, o treinador Lula realizou um treino leve com os atletas no Municipal.

Às vésperas da partida, o nosso selecionado goleou os reservas no treino apronto pelo placar de 3 a 0 e o técnico Calazans fez várias modificações no quadro titular, a fim de observar o rendimento técnico e físico de alguns jogadores que vinham treinando somente no time reserva. Após breve palestra, Calazas treinou físico de 25 minutos e um treino de apronto com os titulares utilizando o esquema 4-3-3, servindo de fixo o atacante Toca. O jogador Barrão, que vinha sendo utilizado no meio-campo ao lado de Carlos Alberto, foi deslocado para a ponta-de-lança, fazendo assim a dupla canhota com Alencar. Na zaga, mais uma vez a entrada de Cazoca, no posto de Carlindo, enquanto na linha de ataque o ex-sampaíno Cadinho foi substituído por Djalma Campos, que teve excelente atuação. Nos primeiros movimentos, a equipe já vencia pela contagem de 1 a 0. Os gols do treino foram marcados por intermédio de Tutinha (2 gols), Barrão, Djalma, Toca e Alencar, 1 gol cada. Os gols dos reservas foram marcados por Djalma, que fez 2 gols, e Euzébio.

O JOGO – Brindou o Corinthians a torcida maranhense com uma excelente exibição, inclusive fazendo que o público local esquecesse o Santos de Pelé e companhia. O time do Parque São Jorge apresentou-se diante de um selecionado maranhense que perdeu de 2 a 0, mas não decepcionando totalmente como era vontade de alguns desportistas. A nossa modesta seleção jogou espetacularmente, obtendo também oportunidade de fazer gols, mas por infelicidade dos nossos atacantes e também as boas defesas go goleiro Marcial, não o fez.

A partida foi bem disputada com o esquadrão bandeirante fazendo experiência nos primeiros minutos, com o nosso selecionado que não dormiu no ponto, o extrema Tutinha teve ótima oportunidade de inaugurar o marcador, mas chutou a bola para fora do gramado, depois que recebeu um magnífico passe de Carlos Alberto. Vendo que as coisas não seriam tão fáceis, os corintianos procuravam a todo instante o caminho da meta do goleiro Brito. Entretanto, o goleiro mantinha-se firme e defendia com segurança a bola enviada pelos avantes da equipe paulista.

O primeiro gol da partida surgiu aos 22 minutos, depois de uma trama sensacional de todo ataque do time paulista. A nossa defesa estava bem firme, formada por Neguinho, Osvaldo, Omena e Cazoca, mas desta feita não houve jeito, uma vez que o centroavante Flávio chutou a queima-roupa para vencer a meta do goleiro Brito, que não teve culpa na jogada. Estava aberta a contagem em favor do Corinthians. Mesmo assim, o nosso selecionado foi à frente, entretanto o goleiro Marcial ou os zagueiros do time paulista estavam atentos, evitando a entrada dos nossos atacantes.

A partida estava bem movimentada, com boas jogadas de ambos os lados. Mas o Corinthians, levando vantagem nas jogadas, marcou o segundo gol, aos 31 minutos, novamente por intermédio do centroavante Flávio, numa grande jogada, depois de curto ataque que nasceu do jogador Dino Sani, entregando a Rivelino e este foi até a pequena área e deu para Flávio. Este aplicou um lençol sensacional em Omena, penetrou na área e cara a cara com goleiro Brito, chutou a meia altura, fazendo assim o segundo e último gol da partida.

Na etapa complementar, a nossa Seleção formou várias vezes, mas não conseguiu passar a defesa paulista, que continuava firme. No time do Corinthians, o preparador Luís Alonso realizou seis substituições, oportunidade em que testou alguns reservas, inclusive o extraordinário ponteiro-esquerdo Eduardo, a sua mais nova aquisição e que deu um show de bola nos minutos em que esteve dentro das quatro linhas. Na nossa equipe, o treinador Calazans também fez algumas modificações, fazendo entrar Carlindo, Djalma Campos e Zé Bernardo. A Seleção Maranhense, nos minutos finais, teve duas oportunidades de diminuir o marcador ou mesmo de empatar. Uma por intermédio de Alencar e outra através do atacante Djalma, que esteve com a meta de Marcial à sua disposição, dando um chute forte, mas sem direção, perdendo-se a bola pela linha de fundo.

 Corinthians

 Seleção Maranhense

FICHA DO JOGO

Seleção Maranhense 0x2 Corinthians (SP)
Data:
14 de Janeiro de 1968
Juiz: Romualdo Arppi Filho
Bandeirinhas: Wilson de Moraes Van Lume e José Salgado
Renda e público: não fornecidos
Gols: Flávio (2)
Seleção Maranhense: Brito; Neguinho, Omena, Osvaldo e Cazoca; Carlos Alberto e Barrão (Carlindo); Tutinha (Djalma Campos), Toca (Zé Bernardo), Cadinho e Alencar. Técnico: Eudez Calazans
Corinthians (SP): Marcial; Osvaldo Cunha, Ditão (Galhardo), Clóvis (Luís Carlos) e Maciel; Dino Sani (Tales) e Rivelino; Marcos, Flávio, Prado (Sílvio) e Gilson Porto (Eduardo) (Bené). Técnico: Lula

Nenhum comentário:

Postar um comentário