terça-feira, 22 de abril de 2014

Nacor Arouche escalado para o Maracanã

Texto extraído do Jornal O Estado do Maranhão, de 29 de Janeiro de 1982, sobre a escalação do árbitro maranhense Nacor Benedito Arouche para apitar uma partida do Campeonato Nacional no Estádio do Maracanã.

Nacor Arouche em campo (foto: arquivo pessoal de Nacor)

Nacor Arouche foi escalado ontem pela Confederação Brasileira de Arbitragem de Futebol (Cobraf) para apitar o jogo Botafogo do Rio de Janeiro e River de Teresina, dia 7 de Fevereiro pelo Grupo B da Taça de Ouro do Campeonato Nacional. Essa escalação é uma prova incontestável que Nacor Arouche está com a bola cheia na arbitragem brasileira, podendo ser a grande oportunidade para despontar definitivamente em termos nacionais. A bela atuação de Nacor no jogo Ferroviário e Náutico, elogiada até pelos cearenses que perderam o jogo dentro de casa, a escola como o melhor árbitro maranhense por três anos consecutivos e o enorme conceito adquirido na imprensa local e nordestina com brilhantes arbitragens foram fatores decisivos para que a Cobraf tenha resolvido a lhe dar essa grande chance.

Nacor disse que esse era o maior sonho de sua vida, pois o seu maior desejo era ganhar a oportunidade de apitar no Maracanã, o maior estádio do mundo aos olhos dos próprios dirigentes da Cobraf. Nacor Arouche se transformará no primeiro árbitro maranhense e da região a apitar no Maracanã, que na realidade é a grande vitrine do futebol brasileiro tanto para jogadores como para árbitros.

A comunicação da indicação de Nacor Arouche para apitar no Maracanã foi transmitido pelo telefone pro Antônio Lopes, assessor do presidente da Cobraf, Áulio Nazareno e depois confirmada através de telex à Federação Maranhense de Desportos. Antônio Lopes disse a Nacor que a Cobraf lhe dará todo o apoio psicológico porque sabe o que representa um árbitro do Nordeste apitar no Maracanã. Terá um dirigente no Aeroporto do Galeão dia 5 de Fevereiro para recebe-lo e conduzi-lo ao Hotel e ficar com ele o tempo todo para lhe transmitir o máximo de tranquilidade. Antônio Lopes comentou com Nacor que a Cobraf tem acompanhado os conceitos emitidos pela imprensa do Maranhão através dos jornais, elogiando as suas atuações e até que, atendendo aos conselhos da própria crônica esportiva, resolveu mudar radicalmente o seu estilo de trabalho, deixando de ser um árbitro nervosinho para apitar tranquilamente e com isso muito mais seguro. Segundo Antônio Lopes, essa indicação para apitar no Maracanã, Nacor deve à imprensa e ao seu próprio talento e que tem certeza que a Cobraf não se arrependerá.

A vida de Nacor Arouche como árbitro tem sido marcada por brilhantes atuações, sendo considerado na região como um dos mais perfeitos árbitros tecnicamente e agora que se acalmou, passou também a ser um dos melhores disciplinarmente. Em 1977 Nacor Arouche apitando um jogo entre Moto e Paysandu no estádio Nhozinho Santos, expulsou os 11 jogadores do time paraense, por não aceitar que suas decisões dentro de campo fossem desrespeitadas. Recentemente Nacor foi apontado como o responsável por não deixar o Atlético Mineiro jogar no amistoso contra o Moto, expulsando de campo nada menos do que 5 jogadores, o oque impediu de continuar a partida. Mas tarde, o mesmo Atlético mostrou que Nacor estava certo, quando numa decisão da Taça Libertadores da América, José Roberto Wrigth expulsou todo o seu time contra o Flamengo, pelos mesmos motivos. Nacor se considera um árbitro perfeito, só perdendo mesmo no Brasil para José Roberto Wrigth e Arnaldo César Coelho, que no seu entender são os melhores do país. “Os outros estão no mesmo ou em nível abaixo do meu”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário