segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Sampaio Corrêa 4x1 Imperatriz - Campeonato Maranhense de 1980


Trecho extraído do jornal O Estado do Maranhão, de 29 de Setembro de 1980

O Sampaio Corrêa se classificou para decidir o Quadrangular do Primeiro Turno do Campeonato Maranhense, na goleada de ontem no estádio Municipal Nhozinho Santos sobre o Imperatriz pelo escore de 4 tentos a 1, fazendo uma partida bem melhor do que as vezes anteriores, notadamente na etapa final, quando apresentou maior disposição.

No primeiro tempo da contenda de ontem, o Sampaio voltou a incorrer nos erros anteriores, principalmente no setor de defesa, que continua sendo a maior preocupação da direção pelas constantes falhas. As mexidas introduzidas na onzena boliviana pelo treinador Storino, que mudou a meia cancha, acabaram por dar um melhor sentido de organização ao time, pois como retorno de Cabecinha ao comando da ofensiva, as jogadas foram melhores trabalhadas com o artilheiro levando sempre perigo aos zagueiros adversários.

O primeiro tempo terminou com a igualdade de 1 a 1, com o Sampaio na frente, anotando o gol de abertura de escore aos 12 minutos, através de Cabecinha, que lançado por Zé Ivan, foi ajudado pela falha do arqueiro Neneca, que ao invés de sair para debater com o pé, tentou agarrar a pelota fora da área e falhou redondamente, deixando a bola livre para o artilheiro, que mesmo sem ângulo teve tranquilidade para colocar de perna direita num chute cruzado para o fundo do barbante. Depois do primeiro gol, parecia que o Sampaio ia finalmente deslanchar ainda na fase inicial, mas aconteceu exatamente o contrário, em virtude das falhas da defensiva e até mesmo da falta de maior tranquilidade do ataque. O Imperatriz, notando que o Mais Querido não acertava, partiu para a frente e passou a atacar com muito perigo, dando sustos consecutivos ao Alexandre, como foi o caso de uma finalização violenta de Jorge Maia por volta dos 21 minutos com a bola passando raspando o poste direito.

O tento de empate do Imperatriz aconteceu aos 34 minutos, feito por intermédio de Jorge Maia, que era sempre um fantasma para a defensiva boliviana. O lance com o lançamento de Flávio para Ivan na ponta-direita, nas costas de Celso Alonso. O lateral, ao receber, levantou em direção à frente de Alexandre para desviar de cabeça, ficando a bola rolando na linha para o mesmo Jorge Maia chegar a bater forte para o fundo das redes tricolores.

No segundo tempo, o Sampaio voltou com maior disposição e passou a atacar constantemente, o que deixou apavorada a defesa do Imperatriz, que pela infinidade dos seus zagueiros, começou a ceder terreno. Aos 6 minutos do período final, num lance de bola parada, na cobrança de um tiro de meta favorecendo ao Imperatriz, acabaram se complicando o goleiro Neneca e o zagueiro Malícia. Neneca tocou lateralmente para Malícia e quando veio a devolução precipitada, Cabecinha já estava presente, forçando o goleiro a cometer penalidade máxima, que Sérgio Faray marcou em cima do lance. O próprio Cabecinha cobrou, colocando no canto esquerdo para aumentar para 2 a 1. Esse gol desnorteou mais ainda o time do Imperatriz, que aprece ter encabulado e ninguém mais acertou nada, o que permitiu o Sampaio atacar sucessivamente.

Aos 10 minutos, o ponteiro Ugo atacou levando a defesa na conversa, aproveitando para lançar ao meio Riba na entrada da grande área. O camisa 8 recebeu e descobriu Bimbinha, sozinha na ponta-esquerda,  passou a pelota, com o pequeno ponta recebendo em completo impedimento, ajeitando e chutando no ângulo superior esquerdo, aumentando para 3 a 1. O quarto tento boliviano também foi marcado em impedimento, pelo centroavante Cabecinha, aos 26 minutos. O lance começou com uma arrancada sensacional de Cabrera, que penetrou muito bem e poderia ter feito o tento, mas preferiu lançar Cabecinha que já estava quase na linha da meta na banheira, sem que o bandeirinha Raimundo Lima marcasse absolutamente nada.

A vitória do Sampaio foi inteiramente justa, se bem que os dois gols impedidos não assinalados pela arbitragem não tinha nenhuma razão de ser, pois pelo futebol apresentado na etapa final pelo Tricolor, o time tinha condições de fazer até mais, aproveitando a falta de experiência do adversário.






FICHA DO JOGO

Sampaio Corrêa 4x1 Imperatriz
Data:
28 de Setembro de 1980
Local: Estádio Nhozinho Santos
Juiz: Sérgio Faray
Gols: Cabecinha (3) e Bimbinha (Sampaio) e Jorge Maia (Imperatriz)
Sampaio Corrêa: Alexandre; Terezo, Cabrera, Everaldo e Celso Alonso; Flávio, Riba e Zé Ivan (Marcelo); Ugo (Fernando), Cabecinha e Bimbinha
Imperatriz: Neneca; Ivan, Arimatéia, Malícia e Cafôfa; Gambá, Flávio (Sarará) e Serginho; Hildebrando (Edmar), Jorge Maia e Zé Nilton

Nenhum comentário:

Postar um comentário